quarta-feira, 9 de agosto de 2006

Sacrifício de Animais não é tudo!

No meu livro "Umbanda Omolocô - Liturgia, Rito e Convergência na visão de um adepto", tem um capítulo inteiro dedicado ao rito de sacrifício de animais. Na verdade realizo uma defesa da necessidade de sua utilização, tentando fundamentá-lo e apresentando, ao meu ver, argumentos consistentes para sua existência.

Assunto polêmico nas rodas umbandistas, tema sem consenso para muitos, não desejo entrar aqui, de forma nenhuma, na validade de seu uso e prática.
O meu intuito é chamar a atenção para um fenômeno que começa a me preocupar como estudioso umbandista, o uso indiscriminado do sacrifício de animais na rotina dos trabalhos espirituais das casas que o praticam.

É incrível como em alguns locais não se faz mais nada, sem que não se tenha um sacrifício de animal pelo meio. Para solucionar qualquer tipo de problema realize uma consulta e depois mate um ou mais bichinhos! Parece que esta passou ser a lei em determinados terreiros.

Não estou falando aqui de sacrifício de bicho de quatro pés (boi, cabra, bode) estou falando do que é mais fácil, cômodo, rápido e lucrativo de se sacrificar o cocoricó, o frango ou a galinha, ou seja, bicho de dois pés.

Nestes recantos que apregoam o sacrifício de animais como solução para todos os males, o axé vermelho (sangue) passou a ser o alimento (oferenda) indispensável, principalmente para Exús, Pomba-giras e os Orixás.
Diante desta realidade, alerta, DIETA JÁ!!! Tem exús ficando preguiçosos de tanto serem alimentados, pomba-giras reclamando dos quilinhos a mais e Orixás se perguntando se este cardápio não muda.

Brincadeiras a parte, cadê as milhares de formas existentes de trabalhos, dentro da riqueza dos nosssos ritos? Cadê as comidas de santo? Os pontos riscados e os ponteiros? Os descarregos de pólvora e os pontos de fogo? A utilização dos elementos da natureza (folhas, ervas, águas, sementes etc.)? Onde foram parar as rezas fortes, os benzimentos, as giras com velas, os trabalhos realizados pela incorporação de entidades, que fazem suas mirongas utilizando vários objetos, sem que necessariamente exista como componente básico o axé vermelho?

Minha gente, o rito de sacrifícios de animais é um ritual de EXCEÇÃO, ou seja, deve ser utilizado somente em casos especiais, situações a margem do normal, após o estudo minuncioso de um caso em particular, ou em rituais específicos e em última instância.

E mesmo assim, se houver um outro caminho, que exista a ponderação de deixá-lo de lado. Por ser perigoso ou incorrer em algum risco? Poderia ser formulado esta pergunta e a resposta seria NÃO!
Tradicionalmente, historicamente, e mesmo como manipulação de determinadas leis magísticas, o derramamento do axé vermelho cumpre o seu papel, tem sua validade e sobrevive, por isso, até hoje.

Engraçado é que terreiros que durante boa parte da sua existência nunca fizeram uso do rito de sacrifício de animais e que por mudança de ritual ou por outro motivo qualquer, passaram a incorporar esta tradição, consideram este fato como uma conquista evolutiva. A bem da verdade, não pode existir evolução espiritual nenhuma ao se dispor da vida de um ser vivo, mesmo que este esteja em uma condição inferior na escala evolutiva.

O pior é que se você for bem mais a fundo em determinados casos, da para perceber que o uso indiscriminado do sacrifício de animais em alguns terreiros existe por conta dos seguintes pontos:
a) É um ritual que provoca um impacto para o consulente;
b) É um rito complexo, que muitas vezes, envolve uma certa quantidade de outros materiais, na maioria das vezes comprado no terreiro, onde se está sendo feito o trabalho, a um custo muito superior ao de mercado;
c) É um rito que gera uma salva ou mão como se fala comumente (pagamento em dinheiro) por corte (animal sacrificado);
d) E, por fim, as partes do animal sacrificado que não são usados, ficam geralmente para a casa, em vez de serem distribuídos com os mais carentes.

Tem gente enriquecendo com isto, tem gente que não sabe fazer mais nada que não envolva este rito, tem que gente que somente encontra solução de alguma coisa se praticar este rito.

Com tudo que expus, quero deixar, bem claro, que se o rito de sacrifício de animais é uma exceção, exceção também são os terreiros que trabalham errado, da forma como descrevi acima.

É fato caro leitor, que dentro do universo umbandista, dos cultos afrobrasileiros e do Candomblé milhares de locais trabalham com este ritual de forma responsável e colocando-o no seu devido papel de rito especial. Outra coisa, evidentemente existem milhares de locais, principalmente no movimento umbandista, que não se utilizam deste ritual e nem por isso os trabalhos por eles realizados tem pouco ou mais valor do que o dos outros.

Como adepto do Culto Omolocô tenho a experiência deste ritual no dia-a-dia da minha vida religiosa, escrevi uma defesa ferrenha no livro citado, acredito na sua utilidade, embora, como também deixei bastante destacado no livro, tenho certeza, que em um futuro bem próximo este rito será substituído por formas mais evoluídas de ritual, não envolvendo mais o sacrifício de animais.

Em, outras palavras, se como adepto cumpri o meu papel de validar o uso responsável deste ritual, fundamentando-o e demonstrando uma linha de raciocínio lógico para sua existência, como cidadão planetário e espírito em evolução, como todos os que se encontram neste planeta, não me vejo em contradição ao afirmar que Sacrifício de Animais não é tudo!
Acreditar na faca como objeto útil para ajudar a cortar o alimento que me mata a fome, não significa aceitar que se use ela para tirar a vida de alguém!

Marcadores:

22 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

É ISSO AEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!
MUDA TUDO!
VC SERÁ ABENÇOADO EM DOBRO PELOS MAIS FRACOS!
OS QUE NAUM TEM VOZ!
VC FALOU TUDO!
AMEI!
DÉ.

2:26 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Como é de conhecimento geral a UMBANDA é caridade, amor, paz.

Portanto, devemos acabar de uma vez com o sacrificio de animais.

Vamos promover a caridade, paz entre as pessoas e continuar nossa evolução espiritual.

6:12 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Faça o futuro se tornar presente, como vc disse no futuro provavelmente nao havera mais esses rituais, ou serao substituidos, entao comece ja, acredito que derramamento de sangue nao evolua espirito algum

11:51 AM  
Anonymous Anônimo disse...

Respeitando a fé de cada um, apenas queria dizer que, não consigo entender como seres espirituais de luz, podem precisar de derramamento de sangue para poder ajudar, fortalecer, ou mesmo curar seu protegidos,médiuns ou como alguns chamam, cavalos.Acredito que é necessário mudança, usar outros recursos que a natureza oferece.Com respeito a todos que divergirem, deixo um abrçao a todos!

2:40 PM  
Blogger leonora disse...

Caio de omolú: Parabéns!!!Concordo c/ vc em tudo e por tudo.Tem muito bandido, gente sem vergonha explorando as pessoas q nao entendem da religião.Que religião? Pra esses não existe! Existe sim, vamos encher os bolsos, comércio...Mas ainda bem, q existem ainda pessoas c/ vc que seguem a umbanda ou candomblé c/ religião e segue seus fundamentos corretos.Chega de exploração!
Grande abraço
leonora espanhola

12:44 AM  
Anonymous Anônimo disse...

Adorei como vc colocou e explorou o assunto , acredito que como estamos evoluindo nossas entidades tambem evoluem conosco entao devemos ter a responsabilidade de ajudar na evolucao de nossas entidades e fazendo os rituias com muita responsabilidade e bastente conciencia .
ClaudiaLua

11:35 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Muito clara a forma em que você expôs tal assunto. Na casa que sou parte do corpo mediúnico, usamos este ritual de forma responsável, nos casos especiais; onde só assiste quem tem preparo, fechado para assistência; damos maior importância aos outros tipos de rituais, como: o ponto de fogo, o uso das velas, a meditação, as comidas de santo, o uso das ervas, massagens orientais, o uso das cores, passes magnéticos, patuás, etc...

3:53 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Caio, te conheço pessoalmente e estou de acordo com o que vc disse. Somente creio que, diante da atual situação de tanta violência e dificuldade na vida do cidadão planetario, tal uso seja de fato necessário, pois "a coisa está feia" e o uso dessa modalidade, creio, seria a fim de aplacar um pouco o ataque de seres oriundos do mundoastral inferior. Creio que num futuro não tão longe , isso será debelado...enquanto isso.....creio que onde frequento, há seriedade suficiente ,para tal uso, assim que creio....

12:19 AM  
Anonymous Anônimo disse...

Mas se o Sr. acredita que "não pode existir evolução espiritual nenhuma ao se dispor da vida de um ser vivo, mesmo que este esteja em uma condição inferior na escala evolutiva", como é que o Sr. pode defender "logicamente" o sacrifício de animais?
Na minha opiniao, sacrificios de animais jamais poderiam ser explicados logicamente pois trata-se de pratica religiosa fundamentada em crendices e nao em fatos logicos. Entretanto, o Sr. tem toda Razao, sacrificios de animais deveriam ser substituidos por outros rituais mais evolutivos.Parabens pela coragem de questionar sua propria Religiao!

5:56 PM  
Blogger RODRIGO disse...

Acertada e equilibradamente, a explanação ao delicado tema foi satisfatória. É evidente que o sacrificio de animais em trabalhos religiosos, como de fato tambem sao usados em casos especiais na Umbanda, é assunto de alto fervor. No entanto, ha de ser realizado, quando necessário, com muita propriedade e acima de tudo responsabilidade. Assim, o é realizado inclusive para nossa sobrevivencia e evolução planetária. Nao sejamos hipócritas. Ou aqui alguém jamais fez uso de qualquer medicamento viral? Isso mesmo. Todos os medicamentos que usamos, prescritos por médicos, que nos curam e salvam nossa vida física, que combatem os males que atacam nossa saúde, provém, necessariamente, de inumeros testes em animais os quais, na maioria das vezes sao levados a óbito (ou ratos nao sao animais???). Desta forma, sao sacrificados para combater um mal maior, gerando, assim, um beneficio a nós, humanos, seres em evolução física e astral.
Abaixo a hipocresia. Sejamos mais realistas e estudiosos. Sacrifico em oferenda é trabalho de desenvolvimento tambem. Não sou adepto de suas realizações desnecessárias. Em nossa Casa esses trabalhos sao quase impraticaveis, mas havendo sua necessidade, evidentemente o faremos com muita propriedade e responsabilidade, como exposado pelo irmão Caio de Omolú.
Umbanda é caridade, paz, amor e fraternidade.
Saravá.

8:55 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Gosto de seu discernimento!

7:49 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Ana/do OmuluParabéns por essa matéria pois eu sempre achei que isso não é certo e tem mais , me iniciei praticamente sozinha meus orixas foram se comunicando comigo desde criança, e quando chegou a hora me desenvolvi fui em uma visita num terreiro e lá vieram mas na real foram me dando nomes e se mostrando em sonhos pra mim tenho um trauma com galinha e galos que morro se uma chegar perto de mim e sempre me perguntava como irei fazer se precisar usar, e uma voz dentro de mim me dizia que isso era errado, parei de frequentar o terreiro por esse motivo não achava certo e os meus orixas minhas entidades me falavam e ensinavam como agir quando alguem aparecia com algum problema e nunca as ervas, as comidas secas e os banhos falharam comigo e nem com ninguem, só gostaria de deixar aqui uma visão que sempre tive " Acho que feitura na Umbanda deveria ser num lugar lindo com ervas roupa branca velas brancas num lugar aberto natureza pés na terra frutas para todos os Orixas cantiga e o Santo se manifestar no seu filho penso que seria muito bonito e se por acaso eu seguir em frente eu particularmente acharia alguem com esse mesmo pensamento que eu para me orientar na feitura .

12:35 AM  
Anonymous Anônimo disse...

Muita paz e luz meu amigo em tudo deve ser dado o primeiro passo,é necessário equilibrio ,discernimento e fé pautada na razão e isso vc tem de sobra ,Deus continue te iluminando sempre a evolução chegará para todos de acordo com o estágio em q cada um esteja,a natureza não dá saltos mas aos poucos as mentes se abrem para o amor ,a paz , a humildade,a fraternidade e pro perdão,fiquei muito feliz de ver suas palavras ganhei o ano parabéns.

10:05 AM  
Anonymous Anônimo disse...

Concordo plenamente com o muito bem informado Caio.A matança indiscrimindada de animais nesse tipo de religião só vem a beneficiar os responsáveis pelas casas.Cobram muito dinheiro para tais rituais.Não acredito que espíritos de luz se deliciem com tais sacrificios.Degolar um carneiro,porco ou boi, com requintes de crueldade não pode ser coisa divina.

11:08 PM  
Blogger ORLANDO disse...

Orlando do OGUM, concordo e fico feliz em saber que tal procedimento está chegando ao seu final. Porém, como ficará as obrigaçoes dos filhos de santo que, segundo a maioria necessita de matança?

9:11 AM  
Blogger ORLANDO disse...

Orlando do Ogum, concordo plenamente e fico feliz por está prática estar chegando ao final, porém como serão feitas as obrigações dos filhos de santo onde são usados os axés. Como serão substituidos os animais para está prática. Espero poder encontrar uma solução, pois quero acabar de vez com este derramamento desnecessário.

9:18 AM  
Blogger Pai Caio de Omulu disse...

Meu sincero e fraterno saravá!
Axé Orlando do Ogum!

Como disse no artigo essa substituição fica para um FUTURO bem próximo(espero). Quando chegará esse futuro então? Acredito que no momento que evolução planetária permitir, ou seja, enquanto o adensamento de energias negativas existir o sacrifício de animais continuará tendo a sua utilidade. Na década de 60/70, a geração Hippie tinha como mote substituir o fuzil e o canhão pelas flores. Desdobramento dos lemas: "Paz e Amor"; "Faça amor, não faça a guerra". Não se conseguiu essa mudança, simplesmente porque a situação espiritual planetária não permitiu, como até hoje não permite.
Fora a parte a pobre analogia que fiz , o mesmo raciocínio serve para o sacrifício de animais.
O que substituirá esse rito? Com certeza outros que tenham haver com o momento espiritual que estaremos vivendo.

Namastê,

Pai Caio de Omulu

12:27 PM  
Blogger o que vou fazer em 2011 disse...

maravilhoso... a umbanda esta sempre em evolução. os médiuns tambem deveriam estar... não vejo como tirar a vida de qualquer animal, sem nem mais, nem porque, possa ajudar na evolução de quem quer que seja. concordo que existam casos à parte, muito graves, onde esta possa ser uma solução... mas muito raros.que omulú abençoe sempre sua coroa, meu irmão. parabéns pela clareza de raciocinio...

4:55 PM  
Anonymous Anônimo disse...

muito bom cqra parabens
estou com uma guerra no meu terreiro pois naum querem evoluir acaham q se naum matar pra determinado exú pode levar tundas se quiser me add william-hochmuller@hot...

5:35 PM  
Anonymous Anônimo disse...

A Umbanda está em constante evolução realmente, cabe principalmente aos dirigentes trocarem informações, ler, pesquisar, e abrirem-se às mudanças. Atuo numa casa de culto Omolocô, apesar de preferir rituais sem sacrifício, não sinto necessidade de "mudar de casa", pois é um terreiro de muita luz, amor e respeito. Acredito que iniciados de hoje estão em busca de novas explicações e respostas, espero que ao iniciarem seus filhos-de-santo o façam sem o sacrifício.

7:44 AM  
Anonymous Anônimo disse...

Na casa onde eu vou, foi preciso que eu fizesse o corte para o meu Exu e para a minha Pomba Gira, porem já havia lido alguns posts dizendo que isso nao era certo, q a casa nao era muito confiavel, pelo motivo dos sacrificios, e agora eu vivo me perguntando; o q eu fiz foi certo?

8:51 PM  
Blogger Pai Caio de Omulu disse...

Prezado Anônimo,

Não sei se deu para perceber nesses e outros artigos que postei no blog, que não sou contra ao sacro-ofício de animais no ritual dos cultos afro-brasileiros. Sou contra o exagero e a exploração existente e que grassa ainda em nosso seio. O mais importante no seu caso não é ter feito ou deixado de fazê-lo, mas sim se para você foi certo e lhe valeu de alguma coisa positiva.
Se sua resposta para si mesmo for sim, então quem sou eu ou outrem para dizer que está errado.

Namastê,

Pai Caio de Omulu

1:08 AM  

Postar um comentário

<< Home